terça-feira, 17 de setembro de 2013

Qualidade... Como se escreve?



Assegurar a padronização dos lotes em condições ideais de fabricação, embalagem, controle e distribuição (sem esquecer as outras etapas da cadeia logística) dentro de parâmetros rígidos de qualidade, é uma tarefa inglória quando o universo de trabalhadores candidatos chega às salas de recrutamento e seleção mostrando-se indivíduos totalmente despreparados e mal sabendo juntar letras e formar palavras. E assim está acontecendo em muitos locais do país.

É exatamente esta situação que muitas empresas estão assistindo em sua rotina de atender as previsões de vendas à luz das exigências regulatórias com equipes onde muitos colaboradores têm profunda deficiência em leitura e grande dificuldade nos caminhos da matemática. Nós exploramos este tema anteriormente (O artigo o qual nos referimos foi postado em 12 de dezembro de 2012, titulado como “Nosso Interesse”) e agora focamos o mesmo problema no sentido de estimular uma discussão voltada para os treinamentos corporativos específicos de tais adultos, mas de uma maneira rápida, contundente e efetiva. 

Não descartamos as soluções de médio e longo prazo da matéria anterior, mas o momento não nos permite esperar os resultados de planos de ação que exigirão mais tempo. Em outras palavras, no mundo dos treinamentos de adulto, por vezes, temos de trocar as rodas do trem, enquanto ele anda. Isto, sem perder o rumo e rigorosamente sem aumentar o tempo de viagem.

Aí entram algumas ferramentas de treinamento verdadeiramente contundentes. Em outras palavras, formar o adulto não necessariamente com a letra, mas com a voz, onde o verbo é passado através do contato direto em situações de campo ou em encontros onde as palestras sejam desenhadas para adultos. 

Na mesma forma de pensar, criar avaliações de desempenho desprezando as “provinhas de Tia Teteca”, e criando situações nas quais os indivíduos possam, de verdade, não só mostrar o que sabem, mas durante o evento, conhecer e aprender com a resposta correta.

Usar o som e as imagens para fazer chegar aos adultos os conceitos que desejamos, é outro ponto relevante. Trabalhar com filmes de treinamento explorando, além dos aspectos gerais de qualidade, os procedimentos operacionais padrão é também uma forma de substituir a letra, e com vantagens, se toda a produção for realizada de maneira profissional e explorando os conceitos andragógicos de aprendizado.

Para aqueles outros colaboradores que não têm qualquer problema com a escrita e com a matemática, esta forma de treinar é muito bem recebida também.Vale repensar a maneira como estamos treinando...